ff

Viamao.Net - blog@viamao.net
domingo, 13 de outubro de 2013
Viamão está entre os oito municípios gaúchos que mantém lixões a céu aberto

Prazo de adequação à lei federal de resíduos sólidos termina na metade de 2014

Faltando um ano para encerrar o prazo de adequação à lei federal de resíduos sólidos, oito municípios gaúchos mantêm lixões a céu aberto, sem medidas de proteção ao meio ambiente ou à saúde pública. São eles: Ijuí, Ipiranga do Sul, Novo Machado, Santa Margarida do Sul, São Gabriel, Tupanciretã, Uruguaiana e Viamão.

Segundo o diretor-presidente Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), Nilvo Luiz Alves da Silva, apesar de o Rio Grande do Sul estar adiantado nessa área, existe uma preocupação com as cidades que ainda não se adequaram às normas. “Cerca de 70% do Estado têm aterros sanitários, que é a forma correta”, afirma.

O restante conserva os locais de depósito de lixo direto no solo ou utiliza aterros controlados, que é um meio termo entre um modelo e outro. “É o Estado com menos lixões”, garante o secretário estadual do Meio Ambiente, Neio Fraga.

O Plano Estadual de Resíduos Sólidos deve ser concluído até a metade de 2014 e orientará a atuação das  prefeituras. “Os municípios sozinhos, muitas vezes, não conseguem implementar, mas podem fazer consórcios por região para otimizar o trabalho.”

A Fepam moveu processos judiciais para forçar as prefeituras a regularizar a situação, mas, na opinião de Silva, algumas cidades não conseguirão se adequar às regras até o meio do próximo ano, como prevê a Lei 12.305/10. “Além de um problema ambiental, é econômico, porque, a cada dia que se opera um lixão, mais se gasta para regularizar.”

A Confederação Nacional dos Municípios (CNM) pediu para a União estender o prazo de adequação. “Até o ano que vem é inviável. Para fechar um lixão, é preciso um projeto e licenciamento. Isso demanda tempo e muito dinheiro”, observa a assessora técnica do Departamento de Meio Ambiente da Federação das Associações de Municípios do RS (Famurs), Marion Heinrich.

Segundo ela, prefeituras procuram frequentemente a orientação da entidade para fazer o plano de gerenciamento de resíduos e o projeto de saneamento, pois boa parte ainda não tem. No Brasil, a produção diária de lixo é de 166 mil toneladas. O Ministério do Meio Ambiente estima que seriam necessários R$ 9,6 bilhões para extinguir os lixões. Segundo um levantamento de 2011, 25% dos municípios gerenciavam os resíduos de forma adequada,  correspondendo a 58% do total produzido.

Fonte: Correio do Povo

Foto: clicrbs.com.br/doleitor


Postado por WM Internet as 10:57 e tem 0 comentarios
0 Comments:

Postar um comentário

Voltar ao blog



Posts mais recentes Posts mais antigos

 
Google
 

 

Últimos Posts

Contagem regressiva para o Facebook sair do ar
Pelo fim do Imposto de Fronteira
O lamentável estado das estradas gaúchas
1 trilhão de impostos
Aula de direito
Tempo inclemente
Sorteio da Nota Fiscal Gaúcha tem ganhadores de Vi...
Acidente entre dois veículos deixa quatro mortos n...
TelexFREE é interditada pela justiça
O vídeo que as TVs não mostraram

Arquivos

Junho 2012 Julho 2012 Agosto 2012 Setembro 2012 Novembro 2012 Dezembro 2012 Janeiro 2013 Fevereiro 2013 Março 2013 Abril 2013 Maio 2013 Junho 2013 Julho 2013 Agosto 2013 Setembro 2013 Outubro 2013 Novembro 2013 Janeiro 2014 Outubro 2015

 

 

 

WM INTERNET